quarta-feira, 20 de abril de 2011

Anjo e Demônio


Demônio & Anjo

Estas figuras são os símbolos das nações. Um, é o fogo revestido de controvérsia! É o batuque alegórico apesar das imundices e destruições. O outro, o anjo, é a esperança da polícia mundial. É o Rei-Deus das constelações (The Dick of the Galaxies). Quem dita as regras da criação e influencia as vontades de todos os povos, apesar do livre arbítrio.


Que paradoxo é o céu! Que lugar lindo, amigo. Forrado com tapetes Persas e taças de cristal. Cortinas de cetim dourado e flashes divinos de espectadores do mundo desigual.

Eu não me engano de alegria. Já foi a era de admirar a lua de cristal. O anjo soberano está de olho em nossa camada do pré-sal.  Os títulos da dívida habitam o lado rubro-flamejante. Ó querubim do mal mesquinho, que compra barcos de luxo e empurra os seus filhos às lâminas do redemoinho. O evidente não é banal. A mente generosa de seu povo que é tão simplório. Admira com ignorância um anjo bom de terno azul petróleo! Os dois lados aguçados da vida. Os dois lados da rua, da quinta avenida. O trânsito que os vê passar. Os ventos que tocam suas manchas de nascença. Nem o fim do mundo imagina o tamanho do poder de vossas excelências!
A batalha ignóbil entre o céu e a terra. O barulho de todos os pássaros a respirar arfantes. Prevendo o tempo se arrastando em direção a guerra. Fazendo alvejarem-se irmãos que certa vez eram amantes. O romper do pulular. Os descendentes de Baltazar, e de tantos outros nomes bíblicos. O império da desconfiança, plantando em suas crianças conhecimentos empíricos!
A linha tênue do inalcançável. O bombardeio de elogios falsos dos tiranos, bárbaros e ostrogodos. Debruçado no plano estilo Maquiavel sobre seus estratagemas e engodos! O estraçalhar da última vidraça. O apelo de todo cidadão mortal. Pelo amor que existe em todo sistema admirável! Encontra tu, ó anjo, êmbolo que obstrua vossas divinas artérias de aço inoxidável.

Início & Fim

O lado do mal está se proliferando. O castigo dos reis benditos está se aproximando. Não existe mais uma gota de confiança somada à dignidade. O demônio do pré-sal aguarda a chegada do exército soberano. O anjo negro piedoso implora saber o que seria honestidade! O assalto diplomático das brasas profundas do inferno azul-anil. Os Estados se Unem a derramar pra si o gás e o óleo do Brasil!
O fim está tão próximo quanto propício. Depois do fim há sempre um novo início.


Danilo R. Leite

Nenhum comentário:

Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License