terça-feira, 24 de maio de 2011

Aguçados Sentidos

Você é a lista das manhãs eternas.
E a pedra fundamental.
A derradeira das árvores.
E o átomo criativo de CO2.
A loucura vestida de humanidade.
Desde o incipiente, passando por onde
em sua alma me inseri.
Tú, reflexo auróreo da vida em mim.
Você é o começo do início, o meio e o fim.
Delicada vírgula no processo do
meu escrever.
O contorno de escalas harmônicas
em 'Mi Menor'.
Das cores, o tom-Rainha.
Virgem madrinha, que me ensinara
a dizer a palavra AMOR.
(Danilo R. Leite)

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Renascer

Não ressuscitei, pois
quando se ressuscita, se volta o mesmo.
Hoje, faço parte de um novo ciclo,
abandonei o meu antigo, me reciclei.
Tive de me restabelecer, ao perceber
que mal estava estabelecido.
Me reabilitei, pois
havia perdido habilidades.
Reaproximei-me, regenerei-me.
Reeduquei-me, reaprendi a viver.
Como quando pensei
que lhe havia perdido, morri.
Quando lhe reconquistei, renasci.
(Danilo R. Leite)

domingo, 8 de maio de 2011

ADA - ÍSA

Minha melhor coisa do mundo.
Minha camada de proteção, minha estratosfera.
A guardiã do meu templo, da minha alma. Minha fera.
Provedora da minha vida e da vida do meu irmão.
Meus olhos, meus ouvidos, meu coração.
Amor incondicional, imensurável, inquestionável e eterno.
Sentimento colossal, inigualável, inevitável e materno.
Força de guerreiros e grandeza de castelos.
ADAúnica e especialISA de olhos amarelos.
(Danilo R. Leite)

Feliz dia das mães.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

ANTES DE PARTIR (Poema do Avião)

Repetir pra ti as coisas que gostaria de ter dito.
Mostrar-lhe alguma música que ainda não tenha ouvido.
Retribuir com o mesmo afeto toda a atenção.
Reensinar-lhe com paciência aquela velha oração.
Segurar com orgulho o tremor de suas mãos.
Alisar teus cabelos brancos com ternura de irmãos.
Perdoar teus hábitos, costumes e manias.
Ouvir comentários novos sobre antigas fotografias.
Rezar para Deus pra ter a mesma longevidade.
Ter-te como pai foi a melhor forma de aproveitar uma oportunidade.
Encher de orgulho esse agora tímido e cansado coração.
Valorizar as feridas de uma alma castigada pelo excesso de emoção.
Garantir que sempre se lembre do melhor da vida.
'Mesque' este momento seja a hora de partida.
(Danilo R. Leite)

Poema feito durante vôo do Rio para Atlanta 23/04/2011 - 22:59.
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License