quarta-feira, 1 de junho de 2011

Conselho / Espelho

Conselho
Espelho


Não espere para sempre o cinza,
Busque sempre a alegria,
as cores do cinza,
as cores da sua essência.
nem queira o azul,
Querendo o azul
porque é confusa esta cor...
a vida não é confusa...
E o azul significa, às vezes,
Azul significa, geralmente,
o Nada, o Espaço frio...
o céu, a fria inspiração...
Não espere para sempre o vermelho,
Atenha-se aos sentidos,
as cores da Paixão,
guarde em si o vermelho da Paixão,
que como as rosas, desabrocham
até que se cumpra o ciclo da rosa,
e se perdem pelo chão!
e se perca pelo chão!
Não espere para sempre o verde,
Entenda todas as nuances,
as cores do frio,
 de primaveras verdes de orvalhos,
porque correrá o risco
corra o risco de ser
do limo eterno...
feliz apesar dos riscos...
Não espere para sempre o rosa,
Peça a paz rosa de criança,
porque esta cor é dos querubins
ao soluço dos querubins,
e para a fita nos cabelos...
com enchentes de ternura...
Não espere para sempre o amarelo,
Recubra de luz tuas sombras,
porque é dos reis esta cor!
dos astros-reis o amarelo se fez herança!
Não espere que sempre se façam cores,
Se por motivos não puder enxergar,
nem somente as queira por querer,
que entenda as cores e as sinta,
queira, apenas, querer ser
queira tudo que possa querer.
estes tons multicores, que emanam de você...
Seja pleno consigo, emanando o que tem dentro de você...
Sávio Roberto Moreira Gomes
Danilo Ribeiro Leite

Nenhum comentário:

Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License