quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

_____Tudo aquilo que não conseguiu me dizer

Hommage à la ville de l'amour
Existem certas coisas que devemos dizer.
Que devemos dizer antes de morrer.
Eu confesso entendi tudo.
Tudo aquilo que não conseguiu me dizer.

Há idéias que precisam permanecer na oficina;
para diagnóstico e análise profunda.
Outras querem fugir gritando e dobrando a esquina;
para libertar o gênio alvo da prisão imunda.

Da prisão suja e fria qual o cárcere da mente.
O extravaso da razão em virgem emoção quente.

Não guardes no peito o que ao mundo pertence.
Não cubras teu corpo com medo do que o outro pense.
Não leves na alma teus segredos para a eternidade.
Teus tesouros escondidos se desmancham com o passar da idade.

Poucas são as coisas que não devem ser expostas.
O amor não curte anonimato 
(nem excesso de publicidade).
A paixão e as coisas boas nunca devem ser pospostas.
O temor é o amigo mais ingrato
(o amigo mais ingrato da felicidade).

Nenhum comentário:

Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License