quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

MUNDO REAL


Eu vi a natureza estampada no papel
Mas destrói a natureza esse papel
Beija-flor foi o primeiro a sumir
Virou moeda infectada de pedir
Tartaruga era a que mais circulava
Mesmo lenta era a que mais trabalhava
Nem queria mais voar a branca Garça
Sem valor foi ficando tão sem graça
Dona Arara avermelhada de vergonha
Foi trocada por um naco de maconha
Mico-leão que nem ouro se escondia
Vendo o fogo que à floresta destruía
Onça pintada se escondia mais ainda
Do progresso que a fez quase extinta
Garoupa era a mais rara da bacia
Muita gente nem sequer a conhecia
Um belo dia aboliram esse papel
E a Natureza resgatou o seu papel
Bicho-homem descobriu felicidade
Foi pra roça e abriu mão lá da cidade

Nenhum comentário:

Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License